Conforme a ciência avança, a expectativa de vida aumenta e o debate sobre o processo natural de envelhecimento também. Uma das grandes preocupações dos idosos são as mudanças cognitivas durante essa fase da vida, incluindo a memória e doenças que estão relacionadas.  

Pequenos esquecimentos são comuns a partir dos 60 anos de idade, e estes lapsos de memória ocorrem em função da morte de neurônios durante o processo de envelhecimento. No entanto, há doenças e comportamentos que comprometem a memória do idoso e suas funções, como Demência, Alzheimer, problemas com o sono, falta de exercícios físicos, carência de estímulos para o cérebro, entre outros.  

Uma comparação da OMS entre a expectativa de vida das pessoas existentes e a expectativa de vida ao nascer de novas pessoas do ano 2000 a 2019 mostra que estamos vivendo mais, mas não necessariamente melhor. Isso é reflexo das novas adversidades que afetam a saúde, especialmente as pessoas que já estão na terceira idade.  

Um estudo publicado na revista científica Journal of Gerontology aponta que ao menos 1,76 milhão de brasileiros com mais de 60 anos vivem com alguma forma de demência, sendo que de 40% a 60% desses casos são de Alzheimer. De acordo com Nadja Schröder, mestre e doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), pós-doutora em Neurobiologia e Comportamento pela Universidade da Califórnia e especialista do curso de “Envelhecimento Saudável: Prevenção, Tratamento e Cuidado” da PUCRS Online, mesmo que esse número tenda a crescer, é possível desenvolver estratégias de prevenção para que as pessoas idosas adotem e tenham uma melhor qualidade de vida.  

A especialista lista dicas que auxiliam no cuidado e prevenção dos problemas relacionados à memória, tais como:  

  • Estilo de vida saudável: A importância de praticar exercício físico semanalmente, dormir as horas necessárias e o papel da dieta balanceada para a saúde cerebral;  
  • Socialização e interação social: O impacto positivo das relações sociais na memória, como a participação em atividades de grupo e comunidades, voluntariados, entre outros;  
  • Controle de estresse e ansiedade: A importância do cuidado da saúde mental durante o envelhecimento, assim como o controle do estresse e da ansiedade;  
  • Técnicas de memorização: Jogos, leituras, aprendizado de novas línguas e atividades recreativas;  
  • Uso da tecnologia: Aplicativos e jogos projetados para melhorar a memória, utilizando adequadamente os dispositivos eletrônicos para lembrar de tarefas importantes e estimular o cérebro.  

 A professora também aponta que garantir um processo de envelhecimento saudável é uma preocupação que deve ser iniciada muito antes da longevidade. Todos os hábitos adquiridos durante a vida e cultivados na fase adulta refletem diretamente na saúde e em toda essa fase, sejam eles positivos ou negativos. 

No curso “Envelhecimento Saudável: Prevenção, Tratamento e Cuidado”, da pós-graduação da PUCRS Online, é possível que os profissionais da área da saúde ampliem seus conhecimentos sobre todo o processo de envelhecimento. Além de aulas ministradas pela professora Nadja Schröder, outros grandes pesquisadores fazem parte do quadro de especialistas disponíveis aos estudantes, como Emílio Hideyuki Moriguchi e Cristiano Englert.  

Sobre Nadja Schröder: 

Nadja Schröder é graduada em Farmácia, mestre e doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com doutorado-sanduíche na Universidade de Uppsala (Suécia), e realizou seu pós-doutorado na Universidade da Califórnia na área de Neurobiologia e Comportamento. Além de ser professora titular Departamento de Fisiologia e coordenadora do programa de pós-graduação em Fisiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a profissional faz parte do time de especialista do curso de “Envelhecimento Saudável: Prevenção, Tratamento e Cuidado” do PUCRS Online.  

Sobre a PUCRS Online: 

Com um ativo ecossistema de inovação, da graduação à pós-graduação, uma série de rankings nacionais e internacionais apontam a PUCRS como uma das melhores universidades do Brasil e da América Latina. Investigação científica de alto padrão, impacto social, aprendizagem contínua e um consolidado projeto de internacionalização caracterizam a instituição que já diplomou mais de 200 mil estudantes.  

Fonte: Bahia Recôncavo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X